A Teoria dos Setênios – “Os Ciclos da Vida”

Processos Biográficos: De onde viemos?
14 de novembro de 2020
PERMA – Os 5 pilares da Psicologia Positiva
19 de novembro de 2020

A Teoria dos Setênios – “Os Ciclos da Vida”

Desde a Antiguidade a vida tem sido dividida em setênios. Tanto chineses quanto gregos foram os primeiros a observar que as mudanças biológicas e espirituais ocorriam de sete em sete anos na vida das pessoas, por isso “setênios”. Se observarmos as idades múltiplas de 7, percebemos que aos 7 anos, em geral, acontece a troca dos dentes de leite por dentes permanentes, por volta dos 14 anos o indivíduo entra na puberdade, aos 21 anos atinge a maioridade, aos 49 anos acontece a menopausa para as mulheres, etc. A vida pode ser observada como uma sequência de transformações e metamorfoses, marcada por novas habilidades que iluminam-se em ciclos de 7 em 7 anos. As primeiras acontecem mais naturalmente, depois passam a ser resultado do trabalho de cada ser humano em seu próprio desenvolvimento.

Cada um dos setênios (ciclos a cada 7 anos) nos oferecem um arquétipo, ou seja, uma imagem que pode nos explicar muito sobre a nossa trajetória de vida. No processo do Panorama Biográfico costumamos estudar e trazer luz para 9 setênios, ou seja, dos 0 aos 63 anos, pois acredita-se que o tempo de 9 setênios é o equivalente ao “gestar” a vida fora do útero materno do ponto de vista de aprendizados para o desenvolvimento do “Eu”, isto é, em busca de “ser” um humano mais consciente e tornar-se sábio durante essa caminhada.

Segue abaixo uma pincelada de características de cada setênio, segundo Burkhard, 2000.

O primeiro setênio, ou seja, dos 0 aos 7 anos, tem como arquétipo “o mundo é bom”. É um período de amor incondicional, no qual o brincar é a maior forma de “alimento” da alma e de aprendizado. O principal grupo de relacionamento da criança é a família e esse é um período de forte desenvolvimento físico.

O segundo setênio, dos 7 aos 14 anos, tem o arquétipo “o mundo é belo”. As vivências na escola são as que mais ensinam e desenvolvem. O mundo é apresentado pelo professor, que é considerado uma autoridade amada que ensina a virtude da reverência e da admiração. Nessa fase surge o sentimento de simpatia e de antipatia. Assim como acontece o amadurecimento do sistema rítmico – coração e pulmão. E também aparecem os Temperamentos (colérico, sanguíneo, fleumático e melancólico) (Steiner, 2014).

No terceiro setênio, dos 14 aos 21 anos, o arquétipo é que “o mundo é verdadeiro”. Nesse período acontece o desenvolvimento do sentido crítico do mundo, assim como, o idealismo. Os sentimentos de simpatia e de antipatia que surgiram anteriormente se transformam em sentimentos de admiração e rejeição.

O quarto setênio, entre 21 e 28 anos é marcado por uma fase de muita impulsividade, as habilidades técnicas são mais desenvolvidas e o indivíduo busca o seu lugar no mundo. O arquétipo aqui é “Eu vivencio o mundo”.

O quinto setênio, caracterizado entre 28 e 35 anos é um marco de que estamos no “meio da vida”. O indivíduo passa a desenvolver as habilidades organizativas. O foco agora é conquistar o seu lugar no mundo. Nessa fase os homens, normalmente mais racionais, devem integrar a vivência de sentimentos; já as mulheres, precisam integrar a razão (Burkhard, 1999). O arquétipo dessa fase é “Eu questiono e organizo o mundo”.

No sexto setênio, dos 35 aos 42 anos as habilidades sociais precisam receber mais atenção. Agora, é preciso consolidar o seu lugar no mundo. O grande desafio nessa etapa é transformar o alto potencial crítico em auto crítica. E o arquétipo é “Eu questiono a mim mesmo”.

O sétimo setênio, 42 aos 49 anos abre o campo para o desenvolvimento das habilidades conceituais. Os questionamentos dos conceitos são mais profundos e cria-se as próprias teorias. Nessa fase, fazer o que quer é essencial. O arquétipo aqui é “Eu tenho minhas respostas”.

No oitavo setênio, dos 49 aos 56 anos começa-se a substituir o “EU” pelo “NÓS” e a alcançar a visão de conjunto. Nessa etapa alimenta-se a beleza interior. Já há sabedoria suficiente para escolher onde e com o que se preocupar e fazer o que quer é necessário. O arquétipo nesse período é “Eu tenho novos valores”.

Por fim no nono setênio, entre 56 e 63 anos a força interior “cresce e aparece”. O que mais importa nessa fase é fazer o bem e cuidar do legado que deixará. E o que arquétipo que acompanha essa fase é “Eu tenho uma nova missão”.

Com essa imagem dos 9 setênios, completa-se a “gestação” do desenvolvimento do ser humano em direção a tornar-se sábio. E nos próximos setênios, há a libertação das Leis Biográficas, segundo Burkhard, 2011.

Enfim, o caminho de autoconhecimento e desenvolvimento é um processo contínuo e constante, e ao realizarmos a análise de cada setênio (grupo de 7 anos) em nossa própria vida, conseguiremos ter o nosso Panorama Biográfico. E poderemos comparar o que é característico de cada setênio com seus arquétipos e o que é único da nossa própria história de vida. Afinal, o objetivo maior do Aconselhamento Biográfico é apoiar o ser humano a identificar a sua individualidade e seguir seus próximos passos de desenvolvimento mais conscientes da sua essência.

Ficou curioso para saber mais detalhes sobre cada setênio? Sabia que cada um deles apresenta um conjunto de características definidos como fases da vida? Em breve vamos detalhar melhor estas fases e suas crises. Até Mais!

Geise Trintinalia
Geise Trintinalia
Sou mãe de um príncipe encantador e tia de 3 sobrinhos maravilhosos. Minha família me nutre. Adoro uma rotina. Planejo tudo que é possível. Sou mais do dia do que da noite. Gosto de coisas bonitas, sofisticadas e elegantes. Aprecio fotos, ler um bom livro, ouvir uma boa música, viagens, decoração de interiores, receber amigos em casa. Nasci, cresci, estudei e trabalhei por muitos anos em São Paulo. Desde 2018, moro e atuo em Massachusetts, nos Estados Unidos, com atendimentos online e sempre engajada em me manter atualizada com as melhores ferramentas de mercado. Pautada em minha história de vida e realizações, meu Propósito de Vida é transformar sonhos em realidade de forma bela, cuidadosa, transparente e amorosa. E os valores que sustentam esse propósito são: Transformação, Experiências Marcantes, Liberdade, Clareza, Autenticidade e Beleza no Resultado. Com esse repertório, experiência e propósito, me coloco à disposição e será um prazer construir com você uma nova jornada de autoconhecimento e desenvolvimento ainda mais repleta de propósito e realização pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *