Cultivar as relações sociais
20 de março de 2021
Evitar Cismar e Fazer Comparações Sociais
26 de março de 2021

Praticar Gestos de Cortesia

Assim como abordamos no post anterior, a prática da gentileza também é uma atividade para aumentar a felicidade e está associada às relações sociais. Como diz a autora do Livro A Ciência da Felicidade, Sonja Lyubomirsky, “a dimensão moral de ser gentil, generoso e doador é irrefutável. Desde muito cedo nos incutiram a ideia de que a cortesia e a compaixão são virtudes importantes. Ensinaram-nos a desenvolver e aplicar essas virtudes em nós mesmos – porque, por definição, são o certo, o bom e o ético a fazer. O que a pesquisa cientifica trouxe recentemente como contribuição a esse princípio secular é a evidência de que praticar gestos de cortesia não é apenas bom para quem os recebe, mas também para quem os pratica.”

O laboratório da autora foi o primeiro a apontar para além das correlações entre felicidade e ajuda, demonstrando, também, a consequência no aumento da felicidade das pessoas que participaram de seus estudos.

Só o exercício de escolhermos uma atividade que se ajusta a nós para praticarmos a gentileza e a cortesia, já nos diz o que valorizamos e acreditamos. Esse movimento já nos encoraja e pode nos fazer sentir animados e felizes mesmo antes de começar a prática da gentileza. 

Mas afinal, cientificamente falando, por que praticar a cortesia nos torna pessoas mais felizes?

A cortesia pode impulsionar uma sucessão de consequências sociais positivas. Pra começar, ajudar outras pessoas pode satisfazer uma necessidade humana básica de contato com outros. Além disso, fazer alguma coisa além e acima do que estamos acostumados, pode:

  • nos ajudar a enxergar as outras pessoas de maneira mais positiva e benevolente;
  • promover um elevado senso de cooperação na nossa comunidade e com as pessoas do nosso entorno;
  • aliviar a culpa, o sofrimento ou o mal-estar para com as dificuldades e o sofrimento dos outros;
  • encorajar um senso de consciência, valorização e gratidão, quando nos comparamos com outras pessoas menos favorecidas do que nós;
  • nos distrair das nossas próprias dificuldades e ruminações, pois desloca o foco de nós mesmos para outras pessoas;
  • impactar no nosso autoconhecimento e na forma como nos vemos;
  • nos ajudar a nos vermos como pessoas mais altruístas, apaixonadas e piedosas;
  • gerar um sentimento de maior autoconfiança, otimismo e utilidade;
  • aprender novas habilidades ou talentos ocultos;
  • fazer despertar um senso de eficácia e realização;
  • promover um senso de significado e valor em nossas vidas;
  • ajudar outras pessoas a gostarem de nós, nos estimarem e nos dedicar gratidão;
  • criar uma força extra, um impulso especial no bem-estar positivo;
  • diminuir sintomas de depressão e aumentar sentimentos de felicidade, auto-estima, ascendência e controle pessoal, entre outros benefícios.

Como Praticar a Cortesia

Como destaca Sonja: “A cortesia não requer nenhum dom particular, medida de tempo ou quantias em dinheiro.  O feito não precisa ser grande”.  Muitas vezes, as oportunidades estão mais próximas do que imaginamos, dentro da nossa própria casa, do nosso local de trabalho e de nossa comunidade. Os gestos podem ser pequenos e breves. E ter atenção ao cenário e contexto, também, pode contribuir para essa escolha. A autora relata em seu livro, o exemplo de um violoncelista que escolheu realizar visitas mensais em clínicas de repouso, e a queixa de sua esposa era que ele não conseguia dedicar tempo para ela e a filha recém nascida em função da carga horária de trabalho. Talvez, nesse caso, a cortesia poderia começar mais dentro da própria casa, para se expandida para fora, posteriormente, em um cenário mais favorável.

  1. Planejamento do Tempo: É interessante como primeiro passo para praticarmos a cortesia, escolher as ações que pretendemos fazer, a frequência e a quantidade desses gestos.  Se fizermos muito pouco, não receberemos benefícios para a nossa felicidade. Em contrapartida, se fizermos demais, poderemos sentir-nos sobrecarregados, irritados ou cansados. Sendo assim, podemos, por exemplo, escolher um dia por semana, e nesse dia, praticar um novo e grande gesto de cortesia, ou, de três a cinco pequenos gestos, pois a estratégia da cortesia requer algo extra, algo que nos tire de nossa rotina habitual.
  • Variedade como tempero da vida: Como diz Sonja:  “Se uma atividade se destina a elevar o bem-estar, tem de permanecer nova e significativa.”  Isto é, variar continuamente nossos gestos de cortesia, para que, depois de um tempo, não nos acostumemos ao novo hábito e isso não mais contribua para a nossa felicidade. Oferecermos nosso tempo e assumirmos compromissos maiores, que envolvam o contato regular com outras pessoas, por exemplo, podem ajudar nessa variedade que ajuda a temperar a vida.
  • A Cadeia da Cortesia: Um gesto de benevolência pode colocar em ação uma série de gestos de cortesia. Esses gestos podem ter consequências positivas nos levando a nos sentirmos elevados, comovidos e admirados, aumentando ainda mais nosso desejo de realizar boas ações. E isso faz com que o famoso ciclo virtuoso aconteça. A gente ajuda alguém, que agradecido, ajuda mais alguém, e assim por diante.
  • Cortesia Perniciosa: Certos cuidados e ajudas são, na realidade, exaustivos e muitas vezes, inclusive, prejudiciais a saúde física e mental. Por exemplo, estudos mostram que os que dispensam cuidados a cônjuges com doença de Alzheimer apresentam níveis de depressão três vezes maiores do que a média. É claro que isso não significa que esses cuidados devem ser cessados, mas sim, que os cuidadores precisam reconhecer essas consequências, de modo que possam se preparar para enfrentá-los da melhor maneira possível, buscando ajuda também para si próprios. Por isso, vale destacar o que Sonja ressalta a esse respeito em seu livro: “Na verdade, qualquer comportamento de ajuda que seja muito pesado, interfira em seus objetivos diários e em sua atuação, é contraproducente como caminho para felicidade, embora possa continuar a ser o certo, o apropriado e o honroso a fazer”. Outro ponto importante nesse item, diz respeito a oferecer ajuda às pessoas que necessitem e querem sua ajuda. Caso contrário, ao invés de gratidão e apreço, a resposta do receptor pode ser algo mais perto da hostilidade e do ressentimento.

Enfim, para concluirmos, vale a pena ressaltarmos que evidências esmagadoras no campo da Psicologia Positiva afirmam que o dinheiro não torna as pessoas tão felizes quanto elas supõem. E, para exemplificar a busca de algo maior que vem acontecendo com as pessoas, temos o caso de Bill Gates, que anunciou em 2008 que abandonaria suas obrigações diárias de presidente na Microsoft para se dedicar a filantropia. Mesmo sendo o homem mais rico do mundo naquele momento, sua opção foi gastar mais tempo e esforço distribuindo seu dinheiro. É totalmente possível que uma de suas doações seja mais importante para o mundo do que qualquer outro gesto que já tenha tido como presidente da Microsoft. E o que nos faz refletir também sobre como ele pode estar se sentindo muito mais feliz com essa opção pela filantropia, além dos beneficiários.

Geise Trintinalia
Geise Trintinalia
Sou mãe de um príncipe encantador e tia de 3 sobrinhos maravilhosos. Minha família me nutre. Adoro uma rotina. Planejo tudo que é possível. Sou mais do dia do que da noite. Gosto de coisas bonitas, sofisticadas e elegantes. Aprecio fotos, ler um bom livro, ouvir uma boa música, viagens, decoração de interiores, receber amigos em casa. Nasci, cresci, estudei e trabalhei por muitos anos em São Paulo. Desde 2018, moro e atuo em Massachusetts, nos Estados Unidos, com atendimentos online e sempre engajada em me manter atualizada com as melhores ferramentas de mercado. Pautada em minha história de vida e realizações, meu Propósito de Vida é transformar sonhos em realidade de forma bela, cuidadosa, transparente e amorosa. E os valores que sustentam esse propósito são: Transformação, Experiências Marcantes, Liberdade, Clareza, Autenticidade e Beleza no Resultado. Com esse repertório, experiência e propósito, me coloco à disposição e será um prazer construir com você uma nova jornada de autoconhecimento e desenvolvimento ainda mais repleta de propósito e realização pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *